Blog de Yara

"Fé inabalável só o é a que pode encarar frente a
frente a razão, em todas as épocas da Humanidade."
(Allan Kardc)

Quem sou eu

sábado, 8 de setembro de 2012

Palestra sobre paciência

PALESTRA TEMA: “PACIENCIA APRENDIZADO DE ILUMINAÇÃO INTERIOR” Paciência – Resignação, perseverança tranqüila Aprendizado – Ação de Aprender. Iluminação – Claridade, irradiação de luz. Interior – Interno que está dentro Introdução. Dois jovens procuraram seu Mestre querendo saber à diferença entre sabedoria e conhecimento. O acontecimento não é o que ocorreu, mas sim o que fazes com aquilo que ocorreu. Podes tornar pior ou suavizar tuas tribulações pelo jeito com que reages a elas. A paciência “Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã; porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal” Jesus não queria dizer para não nos preocuparmos com o futuro, mas para que não ficassemos inquietos e a inquietação são inimigas da paciência, não temos paciência não vivemos o presente porque só focamos nossa atenção no futuro. A inquietação nasce da ignorância, e se fortalece na falta de fé. E a fé é quem nos da à certeza E fasta a inquietação. Quando Jesus disse “A cada dia basta seu mal” nos alertou para centrarmos nossa atenção no hoje, porque é o hoje que será responsável pelo nosso futuro. Assim, a paciência deve ser um dos objetivos do espírito para atingir sua iluminação interior. Para isso ela precisa ser exercitada, desenvolvida. NO filme Karaté Kid, o jovem pede ao Mestre para ensiná-lo lutar e quando chega o Mestre lhe manda pintar um muro. Etc. A finalidade da nossa vida física é a educação do espírito e isso ocorre por meio das experiências vividas através das sucessivas reencarnações. A proposta da doutrina Espírita é audaciosa. Propõe uma mudança de paradigma, convida o homem a viver no mundo, mas não ser do mundo. Mostrando-nos que não somos seres humanos vivendo uma experiência espiritual, somos serres espirituais vivendo uma experiência humana. A partir daí, nossa visão se amplia. Passamos havia com outros as coisas que pareciam impossíveis agora se mostram naturais. Os problemas que antes eram vistos com grandes proporções agora se apresentam, como pontos pequenos com uma finalidade maior. Vemos que os desesperos da vida física, embora dolorosos apagam-se na eternidade do espírito. Quando os acontecimentos da vida material deixam de ser gigantes e tomam a devida proporção vemos os problemas com uma ótica nova. O inimigo não é mais inimigo é um irmão que precisa aprender por isso a paciência é fundamental para atingir essa visão ampliada. Os espíritos já evoluídos têm paciência, porque tem conhecimento do funcionamento das Elis Divinas e já adquiriram pelas experiências a sabedoria para não se inquietar. A verdadeira paciência é sempre uma exteriorização da alma que realizou sua reforma e já se iluminou essa considera todas as criaturas como irmãs em quaisquer circunstancias. È a iluminação que nos concede valores sagrados de tolerância esclarecida. Todos nós estamos aqui com nossos defeitos para trabalhar-los, por isso, precisamos ter paciência com os defeitos alheios, sabendo que nós próprios temos os nossos. Divaldo psicografou durante 10 anos mensagens de alguém que são sabia quem era só depois o espírito apresentou-se como sua mentora Joana de Angelis. Esse processo de iluminação começa pela disciplina, pela continência dos nossos impulsos. È a impaciência que gera rixas e nos leva a estados enfermiços do corpo. Toda impaciência gera desequilíbrio, que é instrumento de teste para avaliação do nosso próprio aproveitamento. Se a paciência nos foge, é imperioso saber que essa é a hora para conquistá-la. A paciência segundo o evangelho é também caridade, e a caridade é passaporte para o progresso interior. A paciência é o preservativo ideal contra o desamor. Jesus disse em Lucas 2:19 “É na paciência que ganhareis as vossas almas” Paciência é a capacidade de verificar a dificuldade ou o desacerto nas engrenagens do cotidiano buscando a superação do obstáculo. Paciência não se compra, se adquire através de exercício. Certa vez, Buda estava sentado à sombra de uma arvore na beira de um lago meditando. Dias mais tarde, um jovem seu discípulo perguntou Mestre tu és Deus? Ele respondeu Não. Então Tu ES anjo? Também não, porque perguntas? Então, porque brilhavas intensamente enquanto meditavas? “E ele respondeu:” Porque estou desaperto consciente da verdade. E todo aquele que encontra a verdade adquire esse brilho”. A iluminação interior é um estado de auto conscientização é a revelação da verdade do ser. “Quem conhece os ouros é sábio, mas quem conhece a si próprio é iluminado” Mas como podemos realizar essa iluminação interior? Através do conhece-te a ti mesmo, despertamos a consciência e então podemos ter a percepção do que somos. Apartear daí, trabalhar a nossa iluminação é uma questão de paciência para tanto a primeira etapa é o autoconhecimento. A segunda etapa é a busca do que transcende; São Francisco de Assis, primeiro se conheceu descobriu-se um ser imortal teve a cosmo visão que todos são iguais e de que ele era um ser espiritual em uma experiência física, apartes daí, deixaram todas as comodidades e buscou sua identificação transpessoal. A iluminação interior pode acontecer a qualquer hora, a qualquer instante. A conversão e Paulo aconteceram em pleno deserto quando se dirigia a Damasco para prender Ananias. Naquele momento Saulo iluminou-se e abriu mão de seus paradigmas e disse “Senhor, que queres que eu faça?” Ter paciência nos momento de sofrimento é fundamental, mas para isso preciso é entender que não pagamos nada a ninguém, nem a Deus, porém, reparamos os nossos erros perante nossa consciência culpada. Certo homem faminto e sem dinheiro, caminhava por uma estrada a margem de um rio viu no chão uma cédula de 100 reais, encoberta pela poeira. Pegou a nota, mas percebeu que se tratava apenas da metade da cédula irritado com a falta de sorte jogou dentro do rio andou mais alguns metros e deu de cara com a outra metade da cédula. Mas já era tarde demais. A falta de paciência não permitiu que ele fosse auxiliado. È preciso educar nossos impulsos a fim de sermos auxiliados pela espiritualidade amiga. Chico dizia que 60 à 80m % das nossas doenças são adquiridas através dos choques de intolerância, da impaciência e da falta de perdão. A bondade apenas não basta para recuperação dos gravames espirituais, é preciso à transformação moral. A submissão a vontade de Deus, a paciência ante as ocorrências infelizes Iluminar-se é desculpar entender e perdoar sempre. EX: Certa vez Chico trouxe uma mensagem de um familiar morto e a pessoa não acreditou rasgou a carta e ainda cuspiu o rosto de Chico ele chegado em casa desabafou com Emmanuel dizendo fiquei pálido não sabia o que dizer e Emmnuel disse da próxima vez, olhe para cima e diga assim: Acho que está chovendo! Por isso Jesus disse: “Eu sou a luz do mundo quem me segue não andará nas trevas, mas terá a luz da vida” O caminho da iluminação é a paciência, por isso é inalcançável em apenas uma existência esse processo requer consciência da nossa própria inferioridade e transformação, através da coragem e da disciplina, do desapego da possibilidade de questionar os valores sobre os quais alicerçamos a nossa vida. O caminho da iluminação é árduo e difícil para quem estabelece como paradigma de vida a matéria. “Cada um de nós veio a terra para aprender a amar. Não viemos para aprender a ser amados, mas sim a amar” Chico Xavier O que estamos fazendo nesse planeta? Nos estamos aqui para aprender a mar. Nossos fracassos são nossos professores, quando precisamos nos superar nos tornamos pessoas melhores. Tudo na vida é um convite ao avanço e as conquistas de valores para a iluminação do ser. Sem uma visão espiritual da existência física, a vida não teria sentido. A ciência achaque o homem é um amontoado de células sob o comando do sistema nervoso central vitimado por fatores hereditários. Saúde e doença, genialidade e patologias mentais para a ciência tudo começa na concepção e anula-se com a morte. A doutrina Espírita não nega os fatores hereditários, sociais e familiares na formação do ser. Sabemos o lar e os ambientes exercem grande influência no crescimento interior do ser. Mas o que permite identificar nossos limites é a identificação do nosso eu interior. Na questão 919 do LE. “Qual o meio pratico mais eficaz para se melhorar nesta vida e resistir ao arrastamento do mal? Um sábio da antiguidade vo-lo disse: “Conhece-te a ti mesmo”. Essa é a chave da iluminação interior do homem integral. Existem três caminhos no processo de autoconsciência a) – A descoberta do EU. (Quem sou? de onde vim? Para onde vou?) b) – O enriquecimento do EU (Conhecer para ser c) – A vivencia – Aplicação de toda ética que nos leva a transpor formação iluminando nosso interior. Precisamos entender que Deus colocou ao nosso dispor, a possibilidade de reencarnarmos em novo corpo físico para retomar aquilo que não conseguimos fazer. A iluminação interior é um trabalho processual, que obedece a uma seqüência Fé e Persistência A fé é uma força poderosa que reside dentro de nós. Mas precisamos associar a fé cultivando a persistência que nos leva a conquista do nosso ideal. Aprimorando os sentimentos e educando os pensamentos trabalhando a disciplina nesse processo não podemos esmorecer a paciência é fundamental, porque só o tempo irá nos conceder a sabedoria que a questão exige. “Toda alma que persevera no bem alcança a presença do criador em todos os seus caminhos , e ouve a voz de Jesus “A paz esteja contigo” para então ouvir a tua fé te curou. Livro Cura-te a ti mesmo ESPÍRITO Mirais Algumas sugestões 1. Postura de aprendiz (Entender que o processo evolutivo é constante) 2. Observação e si mesmo – (Conhecimento de nossas emoções, qual a verdadeira razão que me fez agir desse ou daquele modo?) 3. Renuncia (seletividade de costumes, atos e pensamentos) 4. Aceitação (Não instaurar um processo de auto-cobranças injustas 5. Auto-perdão (Aceitando-se fica mais fácil a pratica do perdão) 6. Vigilância (Cuidado com ávida mental) 7. Oração (terapia da mente) 8. Amor incondicional (O auto amor nos leva a auto iluminação. A paciência no Lar A paciência, no lar, é o fruto do amor. O amor, portanto, favorece que a alma se manifeste dentro do máximo de tolerância, atribuindo-lhe a ventura de ser um exemplo em todos os momentos mais cruciais da existência. Paciência é amor fraternal. Quem já conquistou essa virtude, aceita todas as demais criaturas como irmãs de sua própria alma, em qualquer momento menos ou mais feliz da vida. Quem já a tem, portanto, conhece bem a regra áurea, ensinada por Jesus, realizando-a no: sim, sim; não, não. Com isso, não dispense a energia, quando necessária, para clarear qualquer circunstância e corrigir todos os enganos de boa ou de má fé. É que a paciência é tolerância esclarecida e, negar-se à dissolução de mentiras ou de falsidades, seria baratear a sua capacidade de querer bem. Ilumine-se pelo Evangelho e, com as luzes da Boa Nova instaladas, você alcançará o degrau da tolerância esclarecida, da paciência dentro do lar. Eduque-se e domine sua vontade, superando as suas deficiências espirituais, empenhando-se vivamente no esforço próprio e não tema os desafios do dia a dia. Jamais se faça indiferente. Esqueça os hábitos milenares das queixas. Em tempo algum se interne na posição de vítima, mesmo quando tudo lhe pareça adverso, já que todas as nossas limitações pessoais são frutos de nós mesmos. Discipline-se a cada minuto de sua existência. Contenha seus impulsos súbitos, criando em você mesma uma atmosfera de disciplina e considere o amor a sublimação da vida. Eis, então, que você será, no lar, aquela que repete mil vezes os mesmos conselhos salutares, de mil modos diferentes, e que assim, determinará a modificação do estado atual de almas mergulhadas na indiferença e próximas dos precipícios da dor. Paciência é a chave do coração. Roque Jacintho Livro: Filhos, como educá-los - Na Visão

Nenhum comentário:

Postar um comentário